telephone big(21) 2208-3176
(21) 2208-3148
(21) 98491-8531WhatsApp icone

Consulte Preços e Horários pelo WhatsApp

O Código de Trânsito Brasileiro não determina com que idade as pessoas precisam parar de dirigir e nem a idade máxima para requerer ou renovar a Carteira de Habilitação. Essa regra não existe porque é impossível determinar pela idade as condições que uma pessoa tem ou não de dirigir. Pode ser que uma pessoa de 80 anos tenha mais aptidão para dirigir do que uma pessoa de 42 anos. A decisão sobre a idade máxima para dirigir um carro tem que ser baseada em exame médico, onde serão avaliadas as condições físicas do condutor sem que ele represente um risco para outros motoristas, pedestres, ciclistas ou ainda para ele mesmo. A Resolução do Contran n° 007/98 regulamenta os exames médicos para a renovação da carteira de habilitação de 5 em 5 anos até os 65 anos de idade. E a partir daí, os exames médicos são exigidos a cada 3 anos.

Quem acha que existe idade para aprender a dirigir está muito enganada. Cada vez mais, pessoas acima dos 50 anos assumem o volante e a liberdade para aproveitar a melhor fase da vida nas ruas da cidade.

Segundo pesquisa feita no território brasileiro, nos últimos anos cresceu 14% o número de pessoas acima dos 55 anos que tiram habilitação ou resgatam as suas antigas e superam medos ou falta de prática do passado. E estes números tendem a aumentar: segundo o PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio), a quantidade de idosos no Brasil já é uma dos maiores do mundo, cerca de 13,5 milhões de pessoas, e com isso nosso trânsito promete ficar ainda mais cheio desses motoristas tão especiais.

Muitos motoristas param de dirigir cedo ao reconhecer que já não enxergam tão bem ou que sentem dificuldades para se integrarem ao ritmo agitado do trânsito. O ideal é que a pessoa apta a dirigir não tenha nenhuma restrição física. A médica Maria Seleste Fernandes de Sá, especialista em medicina de tráfego, afirma que a partir dos 65 anos, idade em que o indivíduo é considerado idoso conforme a Organização Mundial de Saúde – OMS, algumas condições de saúde são reduzidas. "Nessa idade a atenção e o reflexo, que é o tempo de reação, diminuem e representam um risco para o trânsito e para o próprio condutor", explica. 

A maioria dos idosos dirige bem porque são mais calmos e prudentes. Mais um motivo para provar que não deve ser a idade avançada o fator determinante para qualquer pessoa parar de dirigir, e sim o estado físico e psicológico da pessoa. É uma pena, porque os motoristas de terceira idade têm um comportamento educado e quase sempre praticam a direção defensiva. Para os idosos, o grande problema em abrir mão da direção é o fato de não poder mais contar com o carro como meio de transporte. Afinal, o carro representa independência. Um idoso aposentado, por exemplo, que perde as condições necessárias para conduzir um carro, sofre alterações em sua rotina social. Visitas a casas de amigos e passeios ficam condicionados a disponibilidade de pessoas da família. Um outro problema é que sem o carro, a alternativa é o transporte público que é precário principalmente para os idosos.

Damos parabéns a todas as vovós motoristas, que cada vez mais conquistam as ruas e enchem o trânsito de carinho.